Como ser dentista nos EUA: conheça o visto EB-2 NIW

Tempo de leitura: 5 minutos

Morar e trabalhar nos Estados Unidos é o objetivo de muitos brasileiros, que se empenham, estudam e investem para realizar esse sonho. É o caso de muitos profissionais de saúde, como os dentistas. 

De acordo com o Conselho Federal de Odontologia (CFO), cerca de 20% dos dentistas do mundo estão no Brasil, sendo, aproximadamente, 330 mil dentistas em solo brasileiro. 

Enquanto os EUA têm uma taxa de 65,7 profissionais por 100 mil habitantes, no Brasil, são 140 para cada 100 mil habitantes. Levantamentos apontam que faltam dentistas nos Estados Unidos e o país tem oferecido oportunidades para os brasileiros.

Já está por dentro dessas boas oportunidades e quer saber como ser dentista nos EUA? Neste artigo, conhecer qual é o salário médio para atuar no país, quais são os requisitos básicos e como é o processo para conseguir o visto EB-2 NIW. 

Como ser dentista nos EUA: salário médio anual

Um dos principais motivos que levam muitas pessoas a planejarem morar e trabalhar nos Estados Unidos é o fato de que, geralmente, as médias de remuneração mensais e anuais são bem interessantes, principalmente para profissionais que possuem formação e experiência.

O U.S. Bureau of Labor Statistics, portal vinculado à Secretaria de Estatísticas Trabalhistas dos Estados Unidos, mede a atividade do mercado de trabalho, condições de trabalho, mudanças de preços e produtividade na economia dos EUA. Seus dados de 2020 mostram que o salário médio anual para um dentista é de US $ 164.010, o que representa cerca de R$ 890 mil por ano ou R$ 74 mil mensais.   

Além disso, em termos de ambiente de trabalho, o portal aponta que alguns dentistas têm seu próprio negócio e trabalham sozinhos ou com uma pequena equipe. Outros dentistas têm parceiros em sua prática ou ainda trabalham como dentistas associados para práticas odontológicas estabelecidas.

Como ser dentista nos EUA: requisitos iniciais

Assim como toda profissão regulamentada, especialmente para estrangeiros que desejam atuar nos Estados Unidos, o país possui alguns requisitos básicos que devem ser preenchidos por quem está interessado em saber como ser dentista nos EUA. Veja:

Ter proficiência em Inglês TOEFL

Atuar profissionalmente nos EUA exige conhecimento fluente na língua inglesa, para que o dentista consiga se comunicar.

Assim, um dentista interessado em atuar no país deve realizar o exame TOEFL – Test of English as a Foreign Language ou, em português, Teste de Inglês como Língua Estrangeira, que serve para avaliar o nível de proficiência no idioma.

Validar o diploma

A validação do diploma também é um requisito fundamental para quem quer saber como ser dentista nos EUA.

Para isso, o interessado precisa passar por duas etapas: a de aspectos acadêmicos e os testes, que são provas de conhecimentos exigidas a todos os profissionais da odontologia que atuam nos EUA, inclusive os próprios norte-americanos. 

Como ser dentista nos EUA: validando o diploma 

A exigência da validação do diploma de dentista é fundamental para o profissional que deseja atuar nos EUA. O processo é criterioso, mas, ao ter sucesso, haverá retorno financeiro e garantias. 

Existem algumas formas de validar o diploma. Uma pode ser usada em todos os estados norte-americanos. No caso das outras, é preciso verificar qual é aceita para a atuação profissional no estado em que pretende morar.

International Program ou Advanced Standing Program

Programa universitário voltado para estrangeiros, que é oferecido por algumas universidades americanas. 

Ele dura dois anos e, para conseguir entrar, é preciso ter o TOEFL e o diploma de odontologia brasileiro, e passar nas duas provas do INBDE – Integrated National Board Dental Examination.

Como vantagem, esse programa permite ao profissional que decida cursá-lo atuar em qualquer estado americano. 

No entanto, ele também apresenta algumas desvantagens: 

  • Possui um custo alto, cerca de US$ 100 mil por ano; 
  • O conteúdo é generalista, fazendo com que o profissional estude muito do que já viu na universidade no Brasil;
  • É necessário realizar duas provas antes do programa;
  • Ao finalizá-lo, o dentista será considerado como recém-formado no mercado americano.

Revalidação por residência

Existem dois tipos de revalidação por residência, ambas com duração de um ou dois anos, dependendo do programa:

  • ​Advanced Education in General Dentistry Program (AEGD), uma residência clínica;
  • General Practice Residency (GPR), que é hospitalar.

A vantagem em optar pela validação por residência é que o currículo ganha mais relevância no mercado norte-americano e muitos programas oferecem bolsas de estudo, assim, o profissional acaba sendo pago para estudar. 

Já a desvantagem é que esse tipo não é aceito em todos os estados. Cerca de 20 estados aceitam esse estudo para completar requisitos acadêmicos de dentistas estrangeiros. 

Revalidação por especialização 

Outra forma de revalidar o diploma de odontologia é por meio de uma especialização. No Brasil, é comum os dentistas terem até mais que um especialização. Nos Estados Unidos não é dessa forma. Ao finalizar o curso em um ou dois anos, o profissional pode chegar a dobrar os ganhos como dentista, já que se posiciona no mercado norte-americano como especialista.

Ainda é possível conseguir bolsas de estudos e há, comprovadamente, uma boa receptividade aos estrangeiros nesse contexto.  A desvantagem aqui é que também não é aceita em todos os estados. 

Como ser dentista nos EUA: exigências dos Boards Estaduais 

Após concluir os estudos, testes e validação do diploma no formato escolhido, o profissional deve ainda concluir mais um requisito, que é a realização de um exame clínico. Ele deve ser feito conforme exigência do estado em que vai atuar, conhecido como Board Estadual. 

Esse exame é realizado com simulações e situações reais em que o profissional deve mostrar, na prática, que está apto para o exercício da profissão na área da odontologia. 

Em seguida, há ainda algumas exigências dos conselhos estaduais de odontologia dos EUA. Em alguns estados, são solicitadas apenas provas extras e até provas clínicas de conhecimentos práticos com a avaliação de um professor. 

Como ser dentista nos EUA: conheça o visto EB-2 NIW

Com formação e experiência, o profissional interessado em saber como ser dentista nos EUA precisa estar atento também a um processo fundamental para conseguir residir e trabalhar no país, que é conseguir o visto norte-americano EB-2 NIW – National Interest Waiver. Essa modalidade é a melhor alternativa para profissionais estrangeiros que possuem experiência comprovada em sua carreira.

Por meio dele, comprovando a formação acadêmica e experiência profissional, você consegue residir de forma legal – por meio do Green Card, sem precisar ter uma oferta de trabalho – chamada de “job offer” – nos Estados Unidos. 

Ao conseguir o visto EB-2, que garante automaticamente o Green Card (residência permanente), o profissional consegue levar também a seu cônjuge e dependentes. 

Requisitos do visto EB-2 NIW

O visto EB-2 é autorizado desde que o profissional preencha um dos três requisitos abaixo:

  1. Possuir Advanced Degree (mestrado e/ou doutorado); ou
  1. Possuir bacharelado com cinco anos de experiência progressiva comprovada no campo de trabalho; ou
  1. Possuir capacidade excepcional na área de Ciências, em geral, Artes ou Negócios, sendo comprovada pelo cumprimento de pelo menos três das seis exigências seguintes:
  • diploma educacional na área;
  • cartas documentando ao menos dez anos de experiência;
  • licença profissional;
  • comprovação de que já recebeu remuneração compatível;
  • filiação à associação profissional;
  • resultados profissionais significativos.

Vantagens do visto EB-2 NIW

Dentre os motivos de imigrar para os EUA por meio do visto EB-2 NIW, veja estas três principais vantagens:

  • Garante residência permanente imediata, por meio do Green Card, ao solicitante, seu cônjuge e dependentes, permitindo que o profissional e sua família residam de forma legal nos EUA;
  • Não é necessário possuir uma oferta de emprego, o que facilita ainda mais o caminho para que o profissional consiga a aprovação do visto, já que não será preciso passar pelo processo de Labor Certification (ter a vaga avaliada e aprovada pelo Departamento de Trabalho dos EUA);
  • O mercado de trabalho norte-americano está aquecido, especialmente para profissionais dentistas, e com diversas oportunidades, além das remunerações atrativas, benefícios e condições.

Green Card

Como já mostrado, ao conseguir o visto EB-2 NIW, você automaticamente garante o Green Card, um visto de residência permanente no país, que permite ao cidadão estrangeiro o direito de trabalhar e viver de forma legal nos EUA. 

Com o Green Card, além da segurança e respaldo em residir no país, você tem direito a acessar serviços básicos, como educação e assistência médica, que são garantidos pelo governo aos seus cidadãos.

Como ser dentista nos EUA: a Bicalho te auxilia no processo do visto EB-2 NIW

Profissionais interessados em saber como ser dentista nos EUA podem se deparar com muitas dúvidas e incertezas durante as etapas que vão permitir alcançar o objetivo de morar e trabalhar no país. Isso porque é exigido conhecimento das regras norte-americanas, além das especificidades exigidas em cada estado. 

Por isso, é muito importante contar com o apoio de uma assessoria especializada, que conhece todas as regras do processo. A Bicalho Consultoria Legal está preparada para oferecer todo o suporte necessário.

Saiba mais como funciona esse suporte.

Compartilhe esse conteúdo