Internacionalização de empresas para os EUA: cenário cada vez mais favorável

Amcham projeta recorde triplo no comércio bilateral com os norte-americanos em 2021. Considera a internacionalização de empresas para os EUA? Veja os dados.

O segundo semestre de 2021 têm demonstrado indícios otimistas para quem mira a internacionalização de empresas para os EUA. O comércio bilateral com o Brasil conseguiu recuperar os números do período pré-pandemia e, com isso, os investidores e empresárias ganharam novamente a confiança que precisavam para dar início a projetos de expansão.

A seguir, separamos alguns dados essenciais do setor com base em estudos da Apex (Agência de Promoção de Exportações e Investimentos) e da Amcham (Câmara Americana de Comércio para o Brasil).

O comércio entre Brasil e EUA alcança novo recorde em 2021

Documento publicado pela Amcham, o Monitor do Comércio Brasil – EUA, apontou dados extremamente relevantes sobre o comércio entre Brasil e EUA no período de retomada após o auge dos impactos da pandemia. Tanto as compras quando as vendas para os EUA bateram recordes entre janeiro e setembro de 2021, superando consideravelmente os patamares atingidos nos ano anterior:

  • Exportações: US$ 22,3 bilhões, alta de 47,1%;
  • Importações: US$27,3 bilhões, alta de 29,8%.
  • Total do comércio bilateral: US$ 49,6 bilhões.

Os Estados Unidos seguem como o 2º maior parceiro comercial do Brasil com participação de 13,4%, atrás apenas da China. O comércio bilateral recuperou os níveis registrados no período pré-pandemia, em 2019, sendo 0,8% maior, nas exportações, e 4,6% maior, nas importações. Com base nessas constatações, a Amcham projeta alta probabilidade de recorde triplo no comércio bilateral para o ano de 2021, considerando as três esferas indicadas acima. 

As oportunidades comerciais nos Estados Unidos são inúmeras

De acordo com estudo da Apex-Brasil Intitulado “Perfil País – Estados Unidos”, a pandemia de Novo Coronavírus impactou negativamente os subsetores de equipamentos de transporte (inclusive aviação). Entretanto, o contrário ocorreu nos subsetores ligados ao petróleo e a minérios metálicos. Observou-se também que, entre 2016 e 2021, houve crescimento de superior a 10% em diversos subsetores relacionados a obras de madeira (móveis e insumos).

O estudo também identificou 910 oportunidades comerciais para exportadores e potenciais exportadores brasileiros no mercado americano. Veja a seguir o valor total importado pelos EUA e a porcentagem de participação do Brasil em cada categoria: 

  • US$ 196 bilhões | 3% | petróleo e derivados, coque, gás natural, biocombustíveis e eletricidade;  
  • US$ 130 bilhões | 3% | equipamentos de transporte; 
  •  US$ 115 bilhões | 2% | produtos não classificados na indústria de transformação. 
  • US$ 239 bilhões | 7% | 743 produtos na categoria “outros”.

A participação do Brasil nessas categorias é um bom indicador para quem pretende realizar a internacionalização de empresas para os EUA. Além de ser um dos principais destinos das exportações, muitos empresários também apostam na abertura de empresas no país, para atuar mais fortemente  inserindo sua marca no mercado estadunidense. Outra alternativa extremamente vantajosa é a internacionalização de franquias. Das marcas brasileiras que já foram internacionalizadas como franquia, a grande maioria está situada nos EUA. 

As vantagens da internacionalização de empresas para os EUA

1. Os EUA têm o maior mercado consumidor do globo

O estudo da Apex-Brasil citado anteriormente mostrou a importância do comércio com os Estados Unidos para o Brasil. O país possui “o maior mercado consumidor do planeta, com valores anuais de consumo de US$ 17,8 trilhões, mais de duas vezes maiores que os do segundo colocado, a China, com US$ 8 trilhões”. Esta característica, por si só, torna a internacionalização de empresas para os EUA uma alternativa extremamente atrativa. 

2. O mercado estadunidense possui demandas diversificadas

O “Perfil País – Estados Unidos” também apontou características relevantes sobre o mercado estadunidense em comparação com a China, o principal parceiro comercial do Brasil. Para o gigante asiático, o Brasil exporta majoritariamente commodities (minério de ferro, soja e petróleo respondem por mais de 75% do volume total embarcado). No caso dos EUA, as exportações são mais diversificadas e englobam, inclusive, setores de maior valor agregado, destacando-se aviação, máquinas e equipamentos e derivados de petróleo. 

3. A economia dos EUA é mais estável e aquecida

É fato que os Estados Unidos se mantêm dentre as maiores economias do planeta. Por esse motivo, é um dos mercados mais cobiçados por investidores e empresários estrangeiros. O estudo da Apex informou que a economia americana cresceu em ritmo acelerado, com taxas acima de 4% entre 2017 e 2019, tendo caído 3,5% em 2020, graças ao impacto da pandemia de Novo Coronavírus. Para 2021, a previsão de expansão econômica é de 5,5%.

Você se informou sobre o comércio bilateral entre Brasil e Estados Unidos em 2021. Está interessado em saber mais sobre o processo de internacionalização de empresas para os EUA? Confira esse artigo sobre  por que vale a pena abrir empresa nos EUA e veja também informações sobre os tipos societários e os passos para concretizar a abertura. 

Compartilhe esse conteúdo