Conheça os tipos de Planejamento Tributário

Quais são os tipos de Planejamento Tributário e qual o papel de cada um deles? Conheça os planejamentos Estratégico, Tático e Operacional e como eles ajudam a alcançar a elisão fiscal por meio de ações interdependentes e integradas. 

O Planejamento Tributário consiste em uma série de ações que objetivam o cumprimento das obrigações fiscais de uma empresa, promover a elisão fiscal e permitir o alcance de objetivos de crescimento do negócio a longo prazo. Existem pelo menos três tipos de Planejamento Tributário que todo empresário precisa ter em mente para tocar o seu negócio dentro da legalidade, de forma proativa e bem direcionada, rumo ao sucesso. Você já os conhece?

A seguir, entenda a diferença entre os planejamentos Estratégico, Tático e Operacional. Veja qual o papel de cada um deles no alcance da elisão fiscal, quais são os aspectos determinados em cada um e quem são os profissionais responsáveis por eles. 

Tipos de Planejamento Tributário: Estratégico

Um dos tipos de Planejamento Tributário é o Estratégico, que é pensado para o longo prazo. Visa resultados futuros para um período entre 5 a 10 anos. Ele consiste no estabelecimento de projeções para o negócio de uma forma geral, e estabelece a direção para o qual a empresa pretende se guiar. Por isso, geralmente é desenvolvido pelos proprietários e/ou diretoria das empresas.

Dentre alguns dos aspectos definidos no Planejamento Estratégico, estão a análise e definição de:

  • enquadramento tributário;
  • visão, missão e valores;
  • destino dos recursos;
  • estrutura;
  • escopo de serviços;
  • mercado de atuação
  • previsão de crescimento;
  • possibilidade de expansão.

A definição de cada um desses aspectos do Planejamento Estratégico depende de uma minuciosa análise interna e externa. Ou seja, é necessário compreender a capacidade da empresa no momento atual, e definir, com base em informações concretas, caminhos para seu crescimento. Porém, ao fazê-lo, é necessário sempre levar em conta o ambiente em que o negócio está inserido, seu comportamento e as tendências que podem vir a influenciá-lo. Por exemplo, instabilidade econômica e política. 

É fato que fatores contextuais podem e vão influenciar na tomada de decisões ao fazer o Planejamento Estratégico. Por esse motivo, as definições devem ser constantemente revisitadas para que as metas estabelecidas estejam de acordo com a realidade e não se tornem obsoletas.

Tipos de Planejamento Tributário: Tático

Uma vez que o Planejamento Estratégico, que diz respeito à empresa como um todo, é definido, cabe ao Planejamento Tático cria as condições para que essas diretrizes sejam implementadas e alcançadas em cada departamento. O executivo ou gerente de cada um desses setores determina, no Planejamento Tático, os meios pelos quais as diretrizes devem ser aplicadas. Por isso, se trata de um planejamento para médio prazo, entre 1 e 3 anos.

O Planejamento Tático tem aspectos variáveis, já que se apresentará de maneiras diferentes de acordo com os processos de cada setor. Mas, é certo que cada um desses processos é reajustado, de ponta a ponta, com o objetivo de cumprir com as diretrizes do Planejamento Estratégico. 

Os resultados esperados após implementação do Planejamento Tático são focados no melhor desempenho de cada área da empresa. Entretanto, se complementam, trabalhando de forma integrada e direcionada para os objetivos da empresa como um todo.

Tipos de Planejamento Tributário: Operacional

Dentre os tipos de Planejamento Tributário está o Operacional, que consiste na formalização prática das ações que vão levar aos objetivos estabelecidos no Planejamento Estratégico. Ele determina metodologias para o cumprimento das obrigações fiscais da empresa, estabelecidos pela lei, dentro de um período entre 3 e 6 meses, sempre levando em consideração os objetivos estabelecidos na etapa estratégica.

Para isso, o Planejamento Operacional deve não apenas conter a metodologia de implementação da estratégia determinada, mas também delegar as responsabilidades e tarefas de cada membro das equipes e apontar os resultados esperados após o cumprimento dessas atividades.

Dentre essas atividades, estão inclusas, por exemplo: 

  • escrituração fiscal;
  • rotina de pagamento de tributos;
  • balanços periódicos;
  • elaboração de notas fiscais.

Para ter uma visão geral, considere que, no Planejamento Estratégico, o objetivo é garantir a elisão fiscal. A partir disso, o Planejamento Tático de cada setor, vai criar condições para que ela seja possível. Entretanto, é no Planejamento Operacional que se determina as práticas específicas para realizar esse objetivo. 

O entendimento dos prazos dos pagamentos de tributos, por exemplo, é essencial para antecipar os pagamentos e reduzir a carga tributárias incidente sobre as operações da empresa. Portanto, a antecipação de pagamentos precisa estar prevista nas atividades do Planejamento Operacional.

Como visto, cada um dos tipos de Planejamento Tributário atua de forma imprescindível para o alcance dos objetivos e crescimento de uma empresa. Se tratam de definições complementares, já que uma depende da outra para ser definida e executada. Por isso, é preciso que todas sejam claras, bem estabelecidas e, principalmente, integradas.

Confira agora algumas dicas e aspectos importantes para desenvolver o Planejamento Tributário da sua empresa.

Compartilhe esse conteúdo