4 importantes passos antes de internacionalizar franquia

Tempo de leitura: 3 minutos

Saiba o que levar em conta antes de internacionalizar sua franquia. Conheça também as modalidades de multilevel franchising para definir a melhor estratégia para o seu negócio.

Tornar um negócio em franquia já oferece uma série de vantagens. Por exemplo, é uma das formas menos onerosas e com menos riscos de realizar a expansão dos negócios. É também uma das mais otimizadas, já que a gerência das unidades recai sobre os franqueadores. Sendo assim, decidir internacionalizar uma franquia é agregar ainda mais vantagens a esse cenário. 

Apostar no mercado estrangeiro é aproveitar a oportunidade de diversificar os ganhos se valendo das taxas de câmbio. Além de o seu negócio se tornar independente do mercado nacional, sua marca se fortalece à medida em que se posiciona de forma competitiva no exterior.

Quer dar início à internacionalização de franquias? Atente-se às informações a seguir.

1. Decisão de internacionalizar franquia

O primeiro pré-requisito para internacionalizar uma franquia é analisar a situação atual do seu negócio. Alguns fatores são essenciais, como, por exemplo, apresentar solidez no mercado brasileiro. Afinal, o modelo de negócio utilizado aqui ainda será a base para elaboração de toda unidade franqueada, mesmo que precise ser adaptado aos mercado estrangeiros. 

Também é imprescindível que a empresa tenha capacidade financeira para realizar uma expansão. Afinal, será necessário fazer investimentos em melhorias, estruturação do padrão a ser transmitido a franqueados no exterior, estudo de mercados estrangeiros bem como o desenvolvimento de novos franqueadores. 

2. Planejamento de expansão do negócio

Para internacionalizar uma franquia é preciso definir em que moldes as unidades franqueadas serão constituídas. Ou seja, estimar uma meta quantitativa de unidades a serem implantadas, e a forma como elas irão se relacionar com a franqueadora. Conheça a seguir as modalidades de “multilevel franchising” (franquias de múltiplos níveis):

Master-franquia

O franqueador nomeia um master franqueado e lhe concede o direito de franquear a terceiros. Estes, por sua vez, podem abrir novas unidades em um país ou região específica.

Desenvolvimento de Área

O franqueador nomeia um franqueado que atua como desenvolvedor de área. Nessa posição, o desenvolvedor tem o direito de explorar determinado território por meio da abertura de unidades próprias ou por meio do franqueamento a terceiros.  

Sub-franquia

O franqueador nomeia um subfranqueado que, por sua vez, pode franquear para terceiros. O diferencial é que a sub-franquia é gerida por alguém com larga experiência e conhecimento do setor. Graças a isso, todas as demandas das franquias subordinadas ao subfranqueado se tornam sua responsabilidade. Sendo assim, suas subordinadas raramente têm contato com a matriz franqueadora.

Representação de Área

O franqueador terceiriza a supervisão das unidades franqueadas a um representante de área, que atua em um território determinado. O representante pode distribuir produtos às unidades franqueadas.

3. Escolha de mercados-alvo

Quando se trata de internacionalizar uma franquia, empresários brasileiros costumam se voltar para países com algum grau de proximidade cultural com o Brasil. Sem dúvidas, isso pode tornar a adaptação do modelo de negócio menos trabalhosa, entretanto, essa semelhança não é fundamental. 

De acordo com a ABF (Associação Brasileira de Franchising), os Estados Unidos possuem o maior número de franquias de marcas brasileiras no mundo. Os principais atrativos para quem decide empreender nos Estados Unidos são a maior estabilidade econômica, a legislação favorável aos negócios, as vantagens trazidas pelas taxas cambiais e até mesmo a abertura de empresas como uma forma de pavimentar a imigração para o país.

Apostar em abrir unidades franqueadas concentradas, por exemplo, nos Estados Unidos, é que se desenvolve:

  • conhecimento aprofundado do mercado;
  • familiaridade com estratégias de marketing mais eficazes na região;
  • absorção de técnicas de segmentação de mercado 
  • mais competitividade ao franqueador exportador;
  • maior participação no mercado.

4. Adaptação do modelo de negócio

Uma das principais etapas para internacionalizar uma franquia é fazer as adaptações necessárias no modelo de negócio. De um país para o outro, os aspectos legislativos podem ser bastante diferentes. Além disso, há o fator cultural. Tendências de arquitetura, publicidade e até mesmo de aspectos dos produtos ou do formato de prestação de serviços podem ser diferentes. Por esse motivo, é indispensável contar com a assessoria de uma empresa especializada na formatação de franquias e na internacionalização de negócios. 

A Bicalho é uma empresa de consultoria legal com atuação multidisciplinar e possui filiais no Brasil e Estados Unidos. Somos associados à ABF e credenciados para atuar na abertura e expansão de franquias, auxiliando franqueadores e franqueados.

Oferecemos consultoria e assessoria de excelência. Possuímos vasta experiência nesse tipo de operação e somos capacitados para auxiliar as empresas franqueadas na busca pelo melhor tratamento tributário e trabalhista, no Brasil ou no exterior. 

Saiba mais sobre nossos serviços!

Compartilhe esse conteúdo