Medida de Joe Biden reabre emissão de visto de trabalho nos EUA

Tempo de leitura: 4 minutos

O presidente estadunidense, Joe Biden, revogou a decisão do antecessor, Donald Trump, que vetava a concessão de Green Cards para alguns imigrantes. Agora, será novamente possível requerer visto de trabalho nos EUA. Entenda.

Com os efeitos da pandemia de Novo Coronavírus sobre o sistema de saúde e o mercado de trabalho estadunidense, o ex-presidente Donald Trump havia vetado a concessão de Green Cards para alguns imigrantes. As fronteiras dos Estados Unidos continuam fechadas para o Brasil, entretanto, o atual presidente, Joe Biden revogou o veto do antecessor, Com isso, algumas categorias de vistos voltaram a ser emitidas e a categoria L-1, que se enquadra como visto de trabalho nos EUA, está entre elas.

A seguir, entenda mais detalhes sobre as motivações por trás da decisão de Trump e da revogação de Biden. Saiba mais sobre vistos de trabalho nos Estados Unidos.

Reforma do ex-presidente Donald Trump na imigração 

Matéria da Agência Brasil noticiou, no fim de fevereiro de 2020, que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, revogou veto de Trump a imigrantes. O ex-presidente havia publicado decreto limitador da imigração aos EUA em abril de 2020, após o agravamentos dos efeitos da pandemia de Novo Coronavírus no país. O decreto, que entrou em vigor no mesmo mês de sua publicação, chegou a ser prorrogado em junho e em dezembro do mesmo ano.

O decreto do ex-presidente Donald Trump determinava a suspensão da entrada de imigrantes e não imigrantes no país que representassem risco para sua recuperação econômica, após a pandemia. Além disso, impedia a emissão de novos vistos de residência permanente, os Green Cards. O motivo indicado no decreto dizia que “as garantias do sistema de processamento de vistos são inadequadas para a recuperação pós epidemia de covid-19”.

Para Trump, o aumento da população poderia aumentar a sobrecarga no sistema de saúde dos EUA. Além disso, o ex-presidente acreditava que novos residentes permanentes poderiam representar “risco para o mercado de trabalho”: 

O Migration Policy Institute avalia que em 60 dias (contados a partir do dia 23/04/2020) o decreto bloqueará cerca de 52 mil pedidos de “Green Cards” para residência permanente.

“Isso vai ajudar os americanos desempregados na reabertura dos Estados Unidos”, disse Trump. “Seria injusto que os americanos fossem substituídos por uma força de trabalho do exterior”, acrescentou. 

Veto do presidente Joe Biden às medidas restritivas

O atual presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, revogou o decreto estabelecido por seu antecessor com efeito imediato. Biden acredita que barrar vistos e a entrada de novos imigrantes não é benéfico ao país. Para ele, essa prática não só prejudica o país, como os cidadãos e resistentes permanentes legítimos que querem se reunir com familiares.

Biden também se posicionou sobre o aspecto do mercado de trabalho e a oferta de emprego. O presidente acredita que a chegada de novos imigrantes com permissão de trabalho é importante para as atividades das indústrias americanas.

Expectativas para o futuro da imigração no governo de Biden

As ações de Biden no que diz respeito à imigração para os Estados Unidos indicam intenções que favorecem aqueles que querem trabalhar, empreender e morar no país. O presidente instruiu os secretários de Estado, Trabalho e Segurança Interna a reverem e alterarem quaisquer outras ações similares que tenham sido estabelecidas com base no decreto instaurado por Donald Trump. 

Matéria do portal O Tempo sobre a proposta de reforma de Biden para imigração informa que os legisladores democratas apresentaram “um pacote que inclui planos para regularizar a situação de cerca de 11 milhões de imigrantes que vivem nos EUA sem documentos e a expansão de vistos de trabalho”. A proposta não foi bem recebida pelos republicanos da Câmara. 

A matéria destaca que essa proposta de Joe Biden consiste em uma das mais importantes iniciativas de modernização do sistema de imigração estadunidense. Afinal, “prevê um período de oito anos para a concessão da cidadania para a maioria dos 11 milhões de imigrantes sem documentos que vivem nos EUA”.

A proposta de novo legislação é intitulada “Ato de Cidadania dos EUA de 2021” e consiste também no cumprimento de uma das promessas feitas pelo presidente em seu primeiro dia de mandato: 

O projeto de lei tenta fazer as mudanças de maior alcance na lei de imigração em mais de três décadas. Isso eliminaria as restrições à imigração com base na família, tornando mais fácil para cônjuges e filhos se juntarem a seus parentes que já estão no país. Além disso, expandiria os vistos de trabalho para permitir que mais estrangeiros entrassem nos EUA em busca de empregos.

Passos para quem quer conquistar visto de trabalho nos EUA

O visto americano L-1 merece destaque como visto de trabalho nos EUA que está entre aqueles que voltarão a ser expedidos. Essa categoria de visto também é conhecida como “visto de empresário” e autoriza que uma empresa de outro país transfira profissionais capacitados para gerirem uma subsidiária e filiada nos Estados Unidos. É bastante visado por empresários que pretendem abrir negócio nos EUA e, então, trabalhar no país gerindo a empresa.

Uma grande vantagem do visto americano L-1 é que, em certas circunstâncias, o beneficiário pode vir a obter um Green Card sem a necessidade de passar pelo desgastante processo de Certificação do Trabalho. Futuramente, o cônjuge de um L-1 pode obter autorização de trabalho durante a sua estada nos Estados Unidos.

Você tem como meta conquistar um visto de trabalho nos EUA, ou gostaria de gerir uma empresa própria, subsidiária ou filial, nos Estados Unidos? Saiba mais sobre a categoria, confira o FAQ do visto americano L-1, conheça todos os requisitos e veja as dúvidas mais frequentes.

Compartilhe esse conteúdo